Política do IFSC vira tema de dissertação

A banca foi realizada no dia 26 de agosto de 2014 em Florianópolis na ESAG/Udesc.

A banca foi realizada no dia 26 de agosto de 2014 em Florianópolis na ESAG/Udesc.

Para propor melhorias ao processo de construção de políticas de comunicação em instituições de educação profissional, científica e tecnológica, a servidora do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Marcela Lin, decidiu estudar a experiência do IFSC. Na última semana, a jornalista – responsável por coordenar o projeto de construção da política de comunicação do IFSC – defendeu sua dissertação no programa de mestrado profissional em Administração da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Como resultado, o trabalho oferece recomendações para instituições que queiram empreender um projeto semelhante, tanto para a construção quanto para a atualização de políticas de comunicação.

A pesquisadora explica que, por ser uma iniciativa pioneira, há poucos estudos sobre o assunto. “É difícil encontrar referências bibliográficas sobre políticas organizacionais de comunicação, bem como casos práticos detalhados, com exceção dos exemplos da Rhodia e da Embrapa que marcaram a comunicação organizacional brasileira”, conta. É nesse sentido que a dissertação da servidora do IFSC avança, uma vez que traz toda a memória do processo realizado no IFSC, além de analisar e propor melhorias com base na experiência do Instituto. “Acredito que tudo o que enfrentamos e fizemos no IFSC possa servir de referência para outras instituições. Por isso, tive uma grande preocupação no trabalho em detalhar todo o processo, desde o contexto para que saísse do papel, sua execução, até as mudanças que a política de comunicação já está gerando na instituição desde que foi lançada em 2013”, destaca.

A dissertação foi feita por meio de análise documental, observação participante, além de uma pesquisa qualitativa – com os integrantes da comissão responsável pela construção da política do IFSC, gestores e o consultor contratado para o projeto – e de uma pesquisa quantitativa – com os servidores do IFSC. Para embasar seu estudo, Marcela utilizou abordagens de comunicação organizacional, aprendizagem organizacional e mudança estratégica.

O trabalho na íntegra pode ser conferido neste link.

Publicado em Notícias Marcado com: , ,